Como é do conhecimento de muitos, a Toys “R” Us tinha entrado com um pedido de falência em setembro do ano passado e agora declara insolvência.

Esta cadeia que abriu as primeiras lojas em Portugal em 1993, em Telheiras e chegou a ter 11 estabelecimentos em Portugal.

Muitos de vós se interrogarão porque é a maior vendedora de brinquedos do mundo depois de fechar lojas nos EUA e no Reino Unido, acaba nos últimos dias de declarar-se insolvente? Qual o motivo?

Foram erros atrás de erros. Não querendo entrar em grandes detalhes, que por motivos profissionais tive conhecimento de alguns deles, mas posso pelo menos falar dos que me são permitidos abordar. Vão desde erros estratégicos, alguns relacionado com património, mas falarei destes e de outros mais à frente.

É triste ver que a maior loja cadeia de brinquedos do mundo, encerra lojas nos Estados Unidos e coloca em causa mais de 30 mil postos de trabalho, que no Reino Unido vai encerrar lojas no próximo mês e colocar em causa mais de 3 mil postos de trabalho e que no fundo acabou com os sonhos de milhões de crianças. Mas as crianças deixaram de sonhar? Claro que as crianças não deixaram de sonhar, mas os responsáveis da marca é que continuaram num “sonho” eterno como se estivessem no mundo da “Alice no país das maravilhas “

Os erros mais comuns que as empresas cometem é não despertarem para alguns aspectos como, a falta de inovação, de aposta no fator diferenciador, no controlo da vertente financeira, de olhar para o umbigo e não olhar para a concorrência e … quando percebem que o mundo não é o país das maravilhas … já foram”!

A minha esperança é que todos os empresários e sobretudo os que não são de grande dimensão, entendam que se até a Toys “R” Us, se apresentou à insolvência, por erros, muitos erros, olhem para os seus negócios e se protejam contra os erros que me refiro. Tenho a certeza que existe mercado para todos, vejamos as grandes superfícies, que se vão adaptando, inovando, controlando, fazendo um marketing de relacionamento e de conhecimento e quando assim é, estão no caminho certo, o que não aconteceu com a cadeia de brinquedos Toys “R” Us.

Erro no controlo financeiro foi apenas o último, pois a divida era superior a quatro mil milhões de euros. A falta de plano estratégico e apenas apresentado quando obrigado no pedido de insolvência, já foi tardio e foi mais um erro. A cadeia de brinquedos não se reestruturou e quando percebeu que tinha lojas menos lucrativas, nada vez para agir, quando podia por exemplo abdicar delas e apostar mais nas lojas mais rentáveis canalizando para essas recursos que permitiam alavancar o negócio. Um outro erro foi não ter apostado convenientemente nas vendas online como a maioria da sua concorrência e esse foi um dos erros mais importantes, não saber adaptar-se às mudanças de hábitos de consumo

Que este episódio sirva de exemplo a muitos empresários que pensam que por serem “grandes” nada lhe vai acontecer e que os faça acordar para a realidade. Que recorram a quem os pode ajudar, de quem conheça os negócios, de quem possa entregar e garanta resultados. Que recorram a quem possa desafiar o empresário a ser melhor, de quem possa ajudar o empresário a tomar melhores decisões, de quem possa dar vários Insight ao empresário e ao seu negócio.

Termino este artigo prestando a minha homenagem ao empresário que é sábio e utiliza o Coach para o ajudar nas horas e decisões mais difíceis e quando necessita de clareza. Felizmente existem cada vez mais empresários a terem essa percepção e isso deixa-me grato, sobretudo se depois de lerem este artigo, se questionarem porque motivo ainda não procuraram um Business Coach / Coach Empresarial.